História em Grândola


  1. Percurso
  2. Descrição
  3. Mapa
  4. Fotografias
  5. Comentários

Percurso

História em Grândola

Rotas do Litoral Alentejano

Perfil: Plano

Época aconselhada: Todo o ano

Passeio pelos pontos de interesse e históricos de Grândola

Ext.: 2.66 km 1:30h Dificuldade: Gráfico da altitude:

237 pessoas gostam deste percurso.

Descrição


Começamos este percurso histórico pela vila de Grândola, no largo do Antigo Depósito da Água (38º10’35’’N, 8º34’07’’W). Aqui poderá observar o actual Paços do Concelho (Câmara Municipal) que remonta provavelmente à segunda metade do século XVI, e há indicação de ter sido mandado construir pelos priores António Barradas e Barnabé Afonso Barradas. Nos séculos seguintes, serviu de residência a algumas famílias e pessoas das mais ilustres de Grândola, designadamente aos Vasconcelos a ao Dr. Jacinto Nunes. E com a sua altura imponente mesmo oposto à Câmara Municipal está o Antigo Depósito da Àgua, Construído no séc. XX (anos 20), foi o principal fornecedor de água da vila até à construção de um novo depósito no final dos anos 60.

Siga para sul na direção oposta à CMG e deixando o depósito da àgua do seu lado direito atravessando a pequena ruela de sentido único. Ao fundo encontrará a Igreja Matriz (38º10’32.85N, 8º34’06.47W). Foi fundada no sec XV e consagrada a N. Sra. Da Assunção no sec XVI merecem atenção no interior os azulejos seiscentistas em azul amarelo e branco e tecto de madeira pintada com motivos geométricos.

Depois da visita ao interior da Igreja dirija-se ao Mercado Municipal, deixando-o do seu lado direito e virando na primeira rua à esquerda. Aqui encontrará a Casa Frayões Metello (38º10’30.08’’N, 8º34’07.54’’W). Exemplar da arquitetura civil do século XVIII, é considerada uma das mais importantes casas nobres da vila de Grândola. De feição senhorial, foi residência de várias famílias da governança local. Foi Francisco de Paula Frayão Metello que colocou na fachada do edifício o brasão que lhe foi outorgado em 1780. Trata-se de um escudo esquartelado, apresentando no primeiro quartel as armas dos Metellos, no segundo as Armas dos Costas, no terceiro as dos Carvalhos e no quarto as dos Soveraes.

Suba a restante rua e vire à esquerda, chegando à Praça D. Jorge de Lencastre (38º10’31.07’’N, 8º34’04.63’’W). Nesta praça tudo o que o rodeia está repleto de História. Mesmo em frente tem os Antigos Paços do Concelho, construído no séc. XVIII, teve função de casa da câmara, tribunal e prisão da comarca. Possui uma torre com um relógio, que constitui a caraterística mais destacante. Serviu vários anos como sede de um partido político. Voltou nos últimos anos a pertencer á Câmara Municipal, que sofreu várias obras de adaptação para servir museu municipal. Mesmo no meio da praça está o monumento de Foral, A Carta de Vila, outorgada por D. João III, foi concedida aos moradores de Grândola a 22 de Outubro de 1544, elevou o lugar à condição de Vila e criou o Concelho. O edificio amarelo que faz canto é o Cine-Teatro Grandolense ou como é localmente conhecido “Música Velha”. Foi inaugurado a 25 de Abril de 2011, o Cine Teatro Grandolense está instalado num edifício do século XVI. Foi neste espaço que Zeca Afonso se inspirou para escrever "Grândola, Vila Morena". O espaço está apto para receber recitais de música, encontros de poesia, colóquios e seminários, pequenas exposições e concertos de carácter mais intimista.

Com o Cine-Teatro à sua esquerda, continue pela ruela e vire na próxima à direita chegando à estrada principal. Siga em frente até não poder mais e vire à direita e seguidamente logo à esquerda continuando até chegar à Escola Primária (38º10’21.44’’N, 8º34’03.14’’W). Aqui encontrará a Estação Romana – Cerrado do Castelo, Existem registos desde o século XVI. As escações ocorreram entre 1989 e 90 por Leite de Vasconcelos. A sua utilização inicial foi dedicada às termas, sendo ainda visíveis vestígios destas termas, com a respetiva piscina, quatro tanques e duas salas.

Continue até ao final da rua e siga para sul até chegar ao Gimno-Desportivo José Afonso (38º10’25.07’’N, 8º33’45.28’’W). Aqui poderá ver a escultura de homenagem a Zeca Afonso da autoria de António Trindade e que foi inaugurada a 23 de abril de 1999. Mais recente é o mural também de homenagem a Zeca Afonso pintado pelo grafitter Smile1 Art nas comemorações do 25 de abril de 2016.

Suba pelo Jardim 1º de Mario, aproveite a sombra e a frescura das árovres. Quase já no topo está uma homenagem a António Inácio da Cruz (38º10’29.14’’N, 8º33’56.71’’W). Foi umafigura impar da história grandolense que ficou para sempre ligado à educação no concelho, através do seu testamento estabeleceu a Fundação com o seu nome que levou á construção da escola secundária e á atribuição de bolsas para os estudantes mais desfavorecidos. 

Vire agora à sua direita e atravesse a estrada, encontrará uma silhueta semelhante a uma capela, aí encontra-se o Museu de Arte Sacra de Grândola (38º10’31.06’’N, 8º33’55.55’’W). Instalado na Igreja de São Sebastião, do sec XVI e integrado na rede artistica da Diocese de Beja, alberga uma exposição permanente sobre a valiosa arte sacra existente no concelho.

Siga junto à fonte, atravessando em frente aos Correios e dirigindo-se para a praceta em frente aos Bombeiros. Aqui está uma homenagem ao Dr. Jacinto Nunes (38º10’36.05’’N, 8º31’01.09’’W). construída por subscrição pública, foi erigida a 2 de Abril 1980 para homenagear, o ilustre percursor da Republica e devotado democrata. O seu objectivo foi o de perpetuar a admiração e o reconhecimento dos grandolenses a esta figura nacional, que durante mais de 50 anos tanta dedicação prestou a Grândola, onde desempenhou os cargos de Presidente da Câmara e Administrador do Concelho.

Dê uns passos em direção à rotunda, verá do seu lado esquero o Coreto (38º10’37.14’’N, 8º34’04.27’’W), vá ao seu encontro. Foi construido em 1930 numa cooperação entre a Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense (SMFOG) e a Câmara Municipal de Grândola, para que a banda filarmónica pudesse actuar. Mais abaixo está uma estátua do Dr. Evaristo Sousa Gago, mais uma vez foi uma homenagem da população a este médico , extremamente devotado à sua actividade, assim como o defensor dos ideais da Liberdade e da Democracia, que conquistou o respeito e a admiração da população do Concelho.

Continue em direção à rotunda e siga pela esquerda. Agora terá de andar um pouco, mas está quase no fim. Poderá sempre parar pelo caminho para um refresco, água ou doce tradicional. Siga sempre em frente até chegar ao Memorial dos 25 Anos do 25 de Abril (38º11’00.74’’N, 8º34’04.09’’W). Da autoria de Bartolomeu Cid dos Santos, erguido nos 25 anos da Revolução, é uma parede curva, revestida a azulejos com a pauta e letra da canção “Grândola Vila Morena”, as assinaturas dos Capitães de Abril e no topo, um cravo, símbolo da Revolução. No verso, a Declaração Universal dos Direitos do Homem. Chegou ao fim. 

 

Mapa



descarregar ficheiro kml

Fauna


Flora


Fotografias


Início do Percurso

Câmara Municipal de Grândola

Fim do Percurso

Memorial 25 Anos do 25 de Abril

Coreto

Foi construido em 1930 numa cooperação entre a Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense (SMFOG) e a CMG, para que a banda filarmónica pudesse actuar.

Antigo Depósito da Água

Construído no séc. XX (anos 20), foi o principal fornecedor de água da vila até à construção de um novo depósito no final dos anos 60.

Igreja Matriz

Fundada no sec XV e consagrada a N. Sra. Da Assunção no sec XVI

Cine-Teatro Grandolense

Está instalado num edifício do século XVI. Foi neste espaço que Zeca Afonso se inspirou para escrever "Grândola, Vila Morena".

Estação Romana - Cercado do Castelo

A sua utilização inicial foi dedicada às termas, sendo ainda visíveis vestígios destas termas, com a respetiva piscina, quatro tanques e duas salas.

Escultura "Zeca Afonso"

Escultura moderna da autoria de António Trindade, inaugurada a 23 de abril de 1999

Mural

Mural pintado por Smile 1 Art, com 31 metros de comprimento e dois de altura. 25 Abril 2016

Museu de Arte Sacra

Instalado na Igreja de São Sebastião, do séc XVI e integrado na rede artística da Diocese de Beja.

Interior da Igreja Matriz de Grândola

Dr. Jacinto Nunes

Construída por subscrição pública, foi erigida para homenagear, o ilustre percursor da Republica e devotado democrata.

Dr. Evaristo Sousa Gago

Homenagem ao homem, extremamente devotado à sua actividade de médico, assim como o defensor dos ideais da Liberdade e da Democracia

Casa Frayões Metello

Exemplar da arquitetura civil do século XVIII, é considerada uma das mais importantes casas nobres da vila de Grândola.

Brasão da Vila

Foral

A Carta de Vila, outorgada por D. João III, foi concedida aos moradores de Grândola a 22 de Outubro de 1544, elevou o lugar à condição de Vila e criou o Concelho.

Antigo Paços do Concelho

Construído no séc. XVIII, teve função de casa da câmara, tribunal e prisão da comarca.

Monumento a Zeca Afonso

Ilustra a máxima “antes partir do que vergar”.

António Inácio da Cruz

Figura ímpar da história grandolense que ficou para sempre ligado à educação no concelho.

Comentários


Adicionar comentário: (o seu comentário será publicado após aprovação.)

Nome:
Comentário:


História em Grândola